9 de nov de 2007

A propaganda e suas maravilhas ou seriam armadilhas??

Reportagem completa

Estava pensando sobre as maravilhas e armadilhas que os efeitos de uma campanha publicitária bem feita pode causar. No link acima segue a história de um garotinho de 5 anos de idade que resgatou um bebê de 1 ano e 10 meses de uma casa em chamas em Santa Catarina.
Muitos devem estar pensando: Ok, mas onde entra a propaganda nisso tudo??
Explico: O menino no momento do incêndio estava vestido de HOMEM-ARANHA e ao ver a mãe desesperada saindo da casa em chamas sem conseguir resgatar sua filhinha entrou na casa em chamas e saiu de lá com a menina nos braços e hoje é tido como o herói nacional. Aí entra a história da propaganda bem feita e de uma campanha publicitária agressiva... Em que grau de alienação as crianças chegaram hoje em dia??? Eu achei louvável o ato do menino, mas já pensou se ao invés de conseguir sair com a menininha nos braços ele ficasse preso e morressem os dois?? Ao invés de herói nacional teríamos uma manchete com uma tragédia!
Que ótimo que correu tudo bem. Só fiquei impressionado com a grande faca de dois gumes que é uma campanha publicitária.
Tomara que o "menino-aranha" tenha parado por aí, até porque sempre escutei da minha avó: Menino que brinca com fogo mija na cama! kkkkkkkkkkkkkk

7 de nov de 2007

Essa vai mudar o planeta...


O link fala por si só, é mais uma das piadas prontas que o mundo nos presenteia... A foto de Paris Hilton alivia a dor dos ratos!!! Isso mesmo!!! Eu ainda não consegui parar de rir dessa manchete. Agora além de inconsequente filha de ricaço ela faz parte da "Cia do Riso" para ratos??? Eu até sei dos trabalhos beneficentes realizados pela atriz (???), cantora (????) e drogada nas horas vagas, porém não conhecia esta inclinação zoológico-veterinária da multi estrela (serão cinco iguais às da rede de hoteis??)
Como diria meu amigo Jajá: "O importante é o que importa"
E eu digo: "Um cavalo morto é um animal sem vida"
E chego à conclusão: Um rato sem dor bate uma pra Paris Hilton! Isso porque ainda não colocaram os coitados pra assistir ao vídeo da dita cuja!

Link da matéria aqui!



6 de nov de 2007

Vida bem vivida

Sou jovem ainda pra fazer um comentário desses, mas hoje cheguei à conclusão de que vivi bem e soube aproveitar todos os momentos de minha vida. Recebi a visita de um amigo de infância, o grande Charles, estudou comigo desde o jardim/alfabetização na saudosa Escola Patinho Feio. Sim sim podem rir do nome, realmente é bem engraçado. O que tento dizer é que senti uma profunda emoção ao ser visitado, lembrado por um amigo de tanto tempo e que não estabelecia qualquer tipo de contato há muito tempo. O motivo da visita foi para comunicar uma reunião na casa de outro dos nossos amigos. É bom ser lembrado, é bom lembrar das coisas vividas com carinho quase paterno, o carinho daquele pai que vê o filho pequeno ou no meu caso o carinho ao olhar no espelho e ver que tudo mudou, minha cara, meu corpo, meu modo de ver algumas coisas, mas que mesmo assim permaneceu aquela velha amizade. Chego a me sentir um velho contando causos pro netinho à beira da cadeira de balanço... Bons tempos aqueles onde nossa únicas preocupações eram jogar bola nos intervalos, entrar na kombi do Tio Nino e ir pro topo da árvore do desempenho.
Sentir saudades é bom pois assim percebemos que aquela semente lançada ao solo foi muito além da esperança de germinar e tornou-se uma grande e frondosa árvore que fará sombra para os bons descanços nas tardes quentes de verão e protegerão da chuva no inverno. Com folhas perenes como os amigos, com raízes profundas como as marcas deles em minha infância.